Pr. Jailson Santos

Seja Bem-vindo!

#Curta nosso blog

Role a página e encontre artigos, sermões e aulas

#Compartilhe nossas ideias

Use as redes sociais para nos ajudar a divulgar a fé reformada

Volte sempre que precisar

Nossa home fica aberta 24h!

Blog

O novo acordo ortográfico

O novo acordo ortográfico consagra mudanças relativamente pequenas. Segundo os lingüistas que prepararam o acordo - Antônio Houaiss, pelo Brasil, e João Malaca Casteleiro, de Portugal -, 0,43% das palavras no Brasil e 1,42% em Portugal passarão por mudanças. 

 

O idioma português é o quinto mais falado do mundo, alcançando 200 milhões de pessoas. A comunidade de fala portuguesa é constituída por Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe (os cinco últimos na África) e por Macau, Timor Leste e Goa no Oriente, onde também esteve presente a colonização portuguesa.


1. MUDANÇAS NO ALFABETO

 

O alfabeto passa a ter 26 letras. Foram reintroduzidas as letras k, w e y.

 

O alfabeto completo passa a ser:

 

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V WX Y Z

 

1.1. No entanto, seu emprego fica restrito a apenas alguns casos, como já ocorre atualmente.

 

1.1.1. Em nomes próprios de pessoas e seus derivados;

 

Exemplos: Franklin, frankliniano, Darwin, darwinismo, Wagner, wagneriano, Taylor, taylorista, Byron, byroniano.

 

1.1.2. Em nomes próprios de lugares originários de outras línguas e seus derivados;

 

Exemplos: Kuwait, kuwaitiano, Washington, Yokohama, Kiev.

 

1.1.3. Em símbolos, abreviaturas, siglas e palavras adotadas como unidades de medida internacionais;

 

Exemplos: km (quilômetro), KLM (companhia aérea), K (potássio), W (watt), www (sigla de world wide web, expressão que é sinônimo para a rede mundial de computadores).

 

1.1.4. Em palavras estrangeiras incorporadas à língua.

 

Exemplo: sexy, show, download, megabyte.

 

 

2. ACENTO AGUDO

 

2.1. O acento agudo desaparece das palavras da língua portuguesa em três casos, como se pode ver a seguir:

 

Nos ditongos abertos ei e oi das palavras paroxítonas.

 

Como era

Como é

assembléia

assembleia

heróico

heroico

idéia

ideia

jibóia

jiboia

 

OBS: as oxítonas e os monossílabos tônicos terminados em éi, éu e ói continuam com o acento (no singular e/ou no plural). Exemplos: herói(s), ilhéu(s), chapéu(s), anéis, dói, céu.

 

2.2. Nas palavras paroxítonas com i e u tônicos que formam hiato com a vogal anterior quando esta faz parte de um ditongo.

 

Como era

Como é

baiúca

baiuca

boiúna

boiúna

feiúra

feiúra

 

OBS: As letras i e u continuam a ser acentuadas se formarem hiato, mas estiverem sozinhas na sílaba ou seguidas de s.

Exemplos: baú, baús, saída.

 

No caso das palavras oxítonas, nas mesmas condições descritas no item anterior, o acento permanece.

Exemplos: tuiuiú, Piauí.

 

2.3. Nas formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com o u tônico precedido das letras g ou q e seguido de e ou i. Esses casos são pouco freqüentes na língua portuguesa: apenas nas formas verbais de argüir e redargüir.

 

Como era

Como é

argúis

arguis

argúem

argúem

redargúis

redarguis

 

 

3. ACENTO DIFERENCIAL

 

3.1. O acento diferencial é utilizado para permitir a identificação mais fácil de palavras homófonas, ou seja, que têm a mesma pronúncia. Atualmente, usamos o acento diferencial – agudo ou circunflexo – em vocábulos como pára (forma verbal), a fim de não confundir com para (a preposição), entre vários outros exemplos.

 

3.2. Com a entrada em vigor do acordo, o acento diferencial não será mais usado nos casos dos exemplos abaixo:

 

3.2.1. péla (do verbo pelar) e pela (a união da preposição com o artigo);

3.2.2. pólo (o substantivo) e polo (a união antiga e popular de por e lo);

3.2.3. pélo (do verbo pelar) e pêlo (o substantivo);

3.2.4. pêra (o substantivo) e péra (arcaico que significa pedra),

3.2.5. em oposição a pera (a preposição arcaica que significa para).

 

3.3. Duas palavras obrigatoriamente continuarão recebendo o acento diferencial:

 

3.3.1. Pôr (verbo) mantém o circunflexo para que não seja confundido com a preposição por;

 

3.3.2. Pôde (o verbo conjugado no passado) também mantém o circunflexo para que não haja confusão com pode (o mesmo verbo conjugado no presente).

 

OBS: já em fôrma/forma, o acento é facultativo.

 

4. ACENTO CIRCUNFLEXO

 

Com o acordo ortográfico, o acento circunflexo não será mais usado nas palavras terminadas em oo.

 

Como era

Como é

enjôo

enjoo

vôo

voo

perdôo

perdoo

 

Da mesma forma, deixa de ser usado o circunflexo na conjugação da terceira pessoa do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos crer, dar, ler, ver e seus derivados.

 

Como era

Como é

crêem

creem

dêem

deem

lêem

leem

 

OBS: nada muda na acentuação dos verbos ter, vir e seus derivados. Eles continuam com o acento circunflexo no plural (eles têm, eles vêm) e, no caso dos derivados, com o acento agudo nas formas que possuem mais de uma sílaba no singular (ele detém, ele intervém).

 

   5. TREMA

 

Não se usa mais o trema ( ¨ ), sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui.

 

Como era

Como é

agüentar

aguentar

argüir

arguir

bilíngüe

bilíngue

    

OBS: o trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas.

Exemplos: Müller, mülleriano.

 

6. HÍFEN

 

Regra básica: Sempre se usa o hífen diante de h: anti-higiênico, super-homem.

 

Outros casos:

 

6.1. Prefixo terminado em vogal:

 

6.1.1. Sem hífen diante de vogal diferente: autoescola, antiaéreo.

6.1.2. Sem hífen diante de consoante diferente de r e s: semicírculo.

6.1.3. Sem hífen diante de r e s. Dobram-se essas letras: antirracismo, 6.1.4. Com hífen diante de mesma vogal: contra-ataque, micro-ondas.

 

6.2. Prefixo terminado em consoante:

 

6.2.1. Com hífen diante de mesma consoante. Ex: inter-regional.

6.2.2. Sem hífen diante de consoante diferente. Ex: intermunicipal.

6.2.3. Sem hífen diante de vogal. Ex: superinteressante.

 

Como era

Como é

anti-religioso

antirreligioso

anti-semita

antissemita

auto-aprendizagem

autoaprendizagem

 

 

7. O QUE MUDA NA COMUNIDADE DE FALA E ESCRITA PORTUGUESA.

 

Boa parte das mudanças previstas no novo acordo não afeta o português escrito no Brasil, mas tem relação direta com a grafia atual das palavras em Portugal. Um exemplo é a eliminação da letra h no início de palavras como herva e húmido (que há muito tempo são erva e úmido por aqui e passarão a ser escritas só dessa forma em todos os países lusófonos). Além disso, como regra geral, desaparecem o c e o p das palavras em que essas letras não são pronunciadas.

 

 

Como era

Como é

director

diretor

exacto

exato

baptizar

batizar

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICA

 

SGARIONI, Mariana. Manual da Nova Ortografia. Revista Nova Escola. São Paulo: Editoras Abril, Ática e Scipione. Edição especial. Agosto/2008.

 

TUFANO, Douglas. Guia Prático Michaelis da Nova Ortografia. São Paulo. Editora melhoramentos. Agosto 2008. 32p.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Jailson Santos

Mestrando em Divindade pelo Centro de pós-graduação Andrew Jumper (Mackenzie - São Paulo)

Bacharel em Teologia pelo Seminário JMC e Universidade Presbiteriana Mackenzie

Pastor auxiliar na Igreja Presbiteriana Aliança em Limeira - SP

Professor de teologia sistemática no SPFB

Imagens de tema por richcano. Tecnologia do Blogger.